Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Woman in Politics

Millennials are changing the future of politics

Millennials are changing the future of politics

A Woman in Politics

22
Ago19

Direito à greve? Hein?

André Matias de Almeida revelou que estão a analisar as propostas para os serviços mínimos que devem ser cumpridos na greve dos motoristas de matérias perigosas, convocada para o período entre os dias 7 e 22 de setembro aos fins de semana e trabalho extraordinário.

A greve dos motoristas de matérias perigosas fez-me perceber que o direito à greve apesar de consagrado na Constituição da República Portuguesa, faz parte do passado.

Ora vejamos, supõe-se que se o Estado ou uma qualquer entidade privada emprega alguém é porque precisa daquele colaborador para o desempenho de determinadas funções. Certo?

Se um conjunto de indivíduos faz greve, supõe-se que causem constrangimentos. Certo? Estranho seria se não fosse assim, é porque andavam todos a encher chouriços...

Se sempre que houver constrangimentos ou não se cumprirem os serviços mínimos (principalmente quando não são mínimos) e se avançar com uma requisição civil, sugiro às forças de segurança e às forças armadas que apostem na aquisição de novos conhecimentos aplicados. Por exemplo, nunca se sabe quando os agricultores vão entrar em greve, e as colheitas não podem esperar

Bem vindos ao século XXI e ao novo Direito do Trabalho

21
Ago19

Venha daí mais uma greve...

"Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) vai avançar com uma nova greve no período de 7 a 22 de setembro, que incidirá apenas sobre as horas extraordinárias e o trabalho aos fins-de-semana e feriados."

Se houver falta de combustível mesmo que os motoristas cumpram o horário normal de trabalho, o que fará o Governo? Perceberá finalmente o que está em causa? Ou obrigará os motoristas a fazer horas extraordinárias para cumprir o que entende ser os “serviços mínimos”?

A não perder…

19
Ago19

A fé do PSD?

Segundo o semanário SOL, perto de 1000 autarcas sociais democratas estarão em Fátima no próximo dia 10 de setembro para discutir o poder local, os problemas das alterações climáticas e ambiente. A iniciativa enquadra-se no período de pré-campanha eleitoral e servirá, acima de tudo, para mobilizar as hostes laranja para as eleições Legislativas de 6 de outubro.

Se podia fazer mil e uma piadas e associações sobre o local que escolheram e o atual estado do partido? Podia. Mas como este blog tem leitores perspicazes, não será necessário.

17
Ago19

António Costa - Sei o que fizeste há 2 verões passados

O Primeiro-Ministro António Costa falou ontem aos jornalistas à saída da reunião com o Presidente da República. Qual não é o meu espanto, quando de forma insistentemente cínica refere a ausência/férias do PSD e do seu líder, no período de greve dos motoristas.

Sim, Rui Rio é politicamente inábil! Sim, Rio devia ter falado antes e de forma mais assertiva! Sim, o PSD vai ter um resultado trágico nas Legislativas! E sim, Rui Rio vai ser obrigado a deixar a liderança do partido!

Contudo, é constrangedor ver António Costa a criticar as férias do líder do PSD, quando em 2017 (o PS era Governo) decidiu tirar férias para Ibiza, estavam ainda os portugueses a chorar as vítimas de Pedrógão e a assimilar o roubo das armas de Tancos.

Isto lembra-me aquele velho ditado popular que mete pimenta e refresco na mesma frase…

Contenção Sr. Primeiro-Ministro, muita contenção!

14
Ago19

A greve dos motoristas e a hipocrisia do Governo

Mesmo com serviços mínimos e requisição civil em cima da mesa, os abastecimentos continuam a falhar. Agora discute-se a duração de horários de trabalho, com o ministro do Ambiente a recordar que o limite para estes motoristas são as 60 horas semanais. Requisição civil não encurtou a greve - sindicato diz que ela pode durar “dez anos”.”

Desde o início que se percebeu que o objetivo do Governo era de que falhassem os serviços mínimos. Daí o valor estipulado ser tão alto. Porquê? Porque no entendimento de Costa e Companhia se os serviços mínimos fossem elevados maior o risco de não cumprimento. O Governo sairia bem e rápido da turbulência mediática da greve, em busca da tão ambicionada maioria absoluta.

Contudo, estas declarações e a perseguição que estão a fazer aos motoristas é ridícula. Considerar-se que é “normal” que os motoristas possam fazer até 60 horas semanais, não é estar à partida do lado de uma das partes? Lado esse que não é o dos motoristas? Se é normal as 60 horas semanais, também não deveria ser normal um salário base ajustado a esse horário de trabalho?

Realmente está aqui um belo cartão de visita…Parece que o direito à greve faz parte do passado e foi revogado pela própria esquerda. 

12
Ago19

Porque não adiar a greve?

Numa altura em que se ultimava os preparativos para a greve dos camionistas de matérias perigosas, e já quando muitos comentavam o silêncio do líder do maior partido da oposição, Rio “interrompe” as suas férias nas praias de Viana do Castelo com a seguinte pérola:

rio.png

Porque o Governo não adia a greve? - é a dúvida que paira...

Rio tem grandes limitações como político, mas não o podem acusar de falta de sentido de humor. Rio e o PSD a dar tudo para descer dos 20%.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • cheia

    Sempre, a atirarem areia para os olhos dos eleitor...

  • Maria

    Onde é que o IL defende o fim das taxas de IRS par...

  • pvnam

    Urge assinalar a ruptura com o Hipócrita do Sistem...

  • A woman in politics

    Ora aí está uma ótima analogia!

  • cheia

    Já tinham as armas carregadas! Agora, têm de as di...

Mensagens

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D